MENU

Praça pública – Movida

  Projeto de paisagismo para transformar uma área pública em avenida movimentada, esquina da Av. Faria Lima com Rua Amauri, em uma “Mata Atlântica de convivência” com rápido sombreamento e muitas espécies nativas diferentes, incluindo frutíferas e emblemáticas, como a araucária. Logo após a implantação, o público que vive seu cotidiano na região adotou o novo espaço para lazer e descanso. Parceria com Farah Service e Movida.
Leia Mais ›

Margem direita do Rio Pinheiros -13 km de paisagismo – Telefônica VIVO

Projeto de paisagismo realizado entre 2017 e 2019 na margem direita para ajudar na restauração da vegetação nativa original das margens do Rio Pinheiros patrocinado pela Telefônica Vivo, com o  objetivo de recuperar 13 km de margens com elementos da mata ciliar original. Foram utilizadas apenas espécies nativas da Mata Atlântica da cidade, totalizando mais de 1.500 árvores, com ênfase em frutíferas como cambuci, uvaia, cereja brasileira, grumixama, sete capotes, pitangas, araçás e jabuticabeiras. A vegetação escolhida também tem forte conexão com a história e cultura da cidade de São Paulo. O antigo nome do Rio Pinheiros é Rio Jurubatuba ou “Rio das Palmeira Jerivás” na língua indígena, por causa da antiga abundância de palmeiras em suas margens, que alimentava pássaros como esquilos, tucanos de bico verde e papagaios – espécie que foi plantada em profusão no projeto. A proposta deixa um legado de séculos para a cidade de São Paulo, pois devolverá elementos da natureza nativa do Rio Pinheiros. É o começo de sua restauração e resgate para os paulistanos. Muitas das espécies que serão plantadas vivem mais de 200 anos e poderão ser apreciadas pelas futuras gerações. Contribui para a formação de um grande corredor verde que permitirá o transito […]
Leia Mais ›

James Corner Field Operations NY – Projeto Alagoas

Projeto de paisagismo em parceria ao escritório James Corner Field Operations, de Nova York, para empreendimento hoteleiro internacional em Alagoas. Prospecção de plantas ornamentais e de interesse em diferentes fitofisionomias de Mata Atlântica da região para desenvolvimento de matrizes e reprodução em viveiros, assim como elaboração de projeto.    
Leia Mais ›

Proposta do Parque Rio Pinheiros no Jockey Club de São Paulo

Uma utopia possível (um dia!). Desviar as marginais Pinheiros para os fundos do Jockey Club junto com um novo bairro multiuso, e em frente um grande parque, o “Parque Rio Pinheiros”, com a recriação do rio original em suas curvas e florestas, apto a banhos, natação e esportes aquáticos junto a prainhas fluviais de areia branca. Publicado no jornal O Estado de São Paulo em 2018.
Leia Mais ›

Tecnisa Jardim Vista Bella

Edifício residencial na rua Jupi, 251, Santo Amaro – São Paulo – SP. Projeto de arquitetura paisagística com piscina, equipamentos de lazer, passeios e Mata Atlântica. Incorporadora Tecnisa.
Leia Mais ›

Vitacon Turiassu 1473

Edifício residencial localizado Rua Turiassú, 1473 – Perdizes, São Paulo. Projeto de arquitetura paisagística com piscina e vegetação 100% nativa da Mata Atlântica. Floresta de Bolso na área permeável do terreno, com utilização pelo público. Incorporadora Vitacon.
Leia Mais ›

Telefonica VIVO canteiros centrais Marginal Pinheiros

Projeto que abrange 7,5 km de paisagismo nos canteiros centrais da Marginal Pinheiros, entre a Ponte Estaiada até a Jaguaré, na margem Centro. Envolveu a restauração de um trecho de grande visibilidade em frente a Avenida Juscelino Kubitschek, que devido a maciça presença de entulhos e falta de solo, não desenvolvia vegetação. Com máquina apropriada, em local onde circulam mais de 3 milhões de carros diariamente, foram removidos 1,8 metros de espessura de entulhos do solo e substituídos por terra vegetal enriquecida com lodo de esgoto de alta fertilidade. Posteriormente foi plantado flores, arbustos e árvores da Mata Atlântica e Cerrado. Destaque são um grupo de 20 copaíbas com 3 metros de altura, árvore original da região que vive dois séculos, e 70 exemplares de chamaecrista, uma planta rara dos antigos Cerrados da cidade de São Paulo. Também foram plantadas 1500 árvores e palmeiras nativas regionais em todo o trecho de 7,5 km, incluindo algumas Florestas de Bolso de Mata Atlântica. Entre as espécies temos raridades na biodiversidade da metrópole e de grande valor ambiental e para a saúde pública, como jatobás, açoita-cavalo, araucárias, palmitos jussara, cambucis, guarantãs, ingás e muitas outras. O plantio foi feito com  técnica adequada e […]
Leia Mais ›

Prizma Paraíso – Designed by Lucio

Edifício residencial de alto padrão em São Paulo, o paisagismo do Prizma apresenta espécies  inéditas da Mata Atlântica e estratégias como o aproveitamento de área permeável obrigatória e de compensação ambiental para uma Floresta de Bolso com redário e espaço de meditação.
Leia Mais ›

Edifício Nord Jardins – Nortis

Edifício residencial localizado na Alameda Franca, 1608 – Jardim Paulista, São Paulo – SP da incorporadora Nortis. projeto de arquitetura paisagísitca com piscinas e lazer, vegetação nativa da Mata Atlântica. Destaques para o pomar com espécies raras no fundo do terreno, o palmital de jussara na entrada da garagem e a calçada com jardim de chuva para ajudar na permeabilidade urbana. Arquitetura Spol Architects.
Leia Mais ›

Nova praça pública – Largo das Araucárias

Um terreno no coração do bairro de Pinheiros com 600 m² cercado pela Rua Butantã, Pais Leme e Padre Carvalho, atrás da igreja. Coberto por tapumes, pichações, muito lixo dentro e fora, e ocupado por um pequeno grupo que trocou o cadeado do portão. A comunidade do entorno tinha certeza que o terreno era privado. Assim era o espaço do futuro Largo das Araucárias. Após terminar o plantio da floresta de bolso “Bosque da Batata” logo ao lado, ficamos intrigado com o terreno abandonado e descobrimos na Subprefeitura que se tratava de área pública. Com o apoio deles foi dada autorização, os ocupantes transferidos e o lixo removido. Conseguimos recursos privados e começou o restauro do local para uma nova praça naquele local inóspito. Antes de se transformar em depósito de lixo, o local era as ruínas de um posto de gasolina, e estava descontaminado segundo consulta aos orgãos competentes. Com uma empresa especializada, foi quebrado toda a laje do posto e removidos os tanques de combustível. Em seguida, retirou-se 20 caminhões de solo entulhado, até descobrir a terra preta e fértil das antigas margens do Rio Pinheiros. Os antigos pilares de sustentação do posto foram deixados como testemunho da […]
Leia Mais ›